create a web page

Um Pássaro na Paisagem

"A cartografia sonora do meu corpo possui todas as crises simples e exerce a loucura da existência."
Esta performance posiciona-se como uma extensão intrínseca ao percurso PAISAGENS DE MIM, directamente interligada com a instalação AL. É um exercício estético e plástico, onde o corpo e a composição musical assumem um lugar de destaque.

ENTRE MARGENS propõe um caminho de escuta e descoberta sonora, que une a Mata do Jardim Botânico de Coimbra ao Convento São Francisco. Inclui um percurso performático, três instalações sonoras, um concerto e uma performance.

PAISAGENS DE MIM é o mapa inter-activo que conduzirá os participantes nesta viagem, assinalando três instalações permanentes e guiando a trajectória através de um mapeamento-jogo que nos convida a mergulhar nas diferentes paisagens sonoras.

AL (Instalação sonora )
Campânulas - altifalantes projectam feixes sonoros, tornam ‘visivel’ a arquitectura sonora envolvente e convidam a que cada um seja interprete desta composição, ao movimentar e escolher a sua orientação.


Uma criação:
DEMO (Dispositivo, Experimental, Multidisciplinar e Orgânico)
Com o apoio:
Câmara Municipal de Coimbra, Convento de São Francisco, Jazz Ao Centro Club

CODE

The project CODE emerges from DEMO's ongoing research on urban public space and the modes of interaction between the contemporary city and its dwellers, always looking for collaboration with local communities and artists. Now, in HK, DEMO wishes to go further and deeper in this research, by developping site-specific installations and performances that will question the communicative and aesthetic boundaries of their materials/mediums of choice in this later research: performers, cardboard boxes and mobile devices.

Every city, country, culture, is different. Each has its own self-perspectives, on what is local and what is becoming global. Modernity and tradition interact with and within the cityscape, and everyday we update and correct codes of communication and behaviour. We connect and share with the living city we inhabit, as we connect and share the public and private lives of its dwellers. Now, through the growing use of smartphones, we experience reality in a different way, either because we are always "connected" and "sharing" with others, or because we are always calling, texting, taking photos and making videos, mixing past, present and future, public and private, disposable and available, memorable and ephemeral - and everything in between.

Our mobile devices become our ears and voices, hands and eyes. Cardboard boxes, easily found in any city, convey at once simple manufacture and worldwide industrialization, an enclosed space and a shipping medium. The performative body becomes an interface, a facilitator, between Hong Kong and its people

Star Dust

"O nitrogénio do nosso DNA, o cálcio dos nossos dentes, o ferro do nosso sangue e o carbono das nossas tartes de maçã, foram produzidos no interior de estrelas em colapso. Somos todos feitos de material estelar." - Carl Sagan

Produção: DEMO
Performance concebida em residência artística no Centro de Arte Contemporânea Ujazdowski Castle, Varsóvia em 2011 - no Projecto RUSSIAN ROULLET (apoiado pela Fundação GDA)

UWAGA!

Produção: DEMO
Performance concebida em residência artística no Centro de Arte Contemporânea Ujazdowski Castle, Varsóvia em 2011 - no Projecto RUSSIAN ROULLET (apoiado pela Fundação GDA)

BODY_T


O sentido que atribuímos aos espaços físicos, pelas memórias que deles transportamos, transformam-nos em habitats individuais de significado. Os espaços públicos transfiguram-se assim aos olhares individuais, como uma mesma imagem que é vista de diferentes perspectivas , tomando significações diferentes para quem as vê.

Em Body_T, o corpo do performer transforma-se num mapa de habitat de significado, resultante da acção directa do público, através de uma composição em tempo real. Desta forma, o público cria o seu mapa de habitat de significado sobre a cidade em que se realiza a performance.

Produção: DEMO
Performance concebida em residência artística no Centro de Arte Contemporânea Ujazdowski Castle, Varsóvia em 2011 - no Projecto RUSSIAN ROULLET (apoiado pela Fundação GDA)

Super S-Cena

O público no início do espectáculo é confrontado no espaço cénico com a existência de duas plateias, frente a frente, e uma mesa entre elas com quatro telemóveis.
Enquanto os espectadores aguardam sentados, observam-se mutuamente, instalando-se um clima de crescente tensão, provocado pelo silêncio e por um foco sobre a mesa. Quando o primeiro telemóvel toca, os espectadores são obrigados a tomar uma decisão, entrar/participar num jogo que desconhecem ou ficar a assistir.
Super S_Cena é um espectáculo que parte da troca de papéis entre os directores/performers e os espectadores que passam a performar na qualidade de
espectadores/performers. Neste espectáculo os directores/performers não estão fisicamente presentes, trata-se de um dispositivo relacional que permite aos espectadores compor/construir o espectáculo a partir das suas escolhas, acções e interacções em cena, sobre o material criado e disponibilizado a priori pelo grupo.

ENCENAÇÃO:
Cheila Pereira, Cláudio Vidal, Gil MAC, José Costa [Zékinha], Margarida Cabral, Paula Rita Lourenço.
PRODUÇÃO: DEMO
APOIO: Fundação DGA

Espectáculo de performance concebido em residência artística no Centro de Arte Contemporânea Ujazdowski Castle, Varsóvia em 2011 - no Projecto RUSSIAN ROULETTE